Agendas e Contatos

Entre em Contato Conosco.

Loja Virtual

Adquira esses e outros Temas dos nossos DVDs de Mensagens na nossa Loja Virtual.

Assembleia de Deus em Ação

Todas as segundas a partir das 13h na Farol Melodia - FM 90.1 .

domingo, 30 de setembro de 2012

MAIS UMA GRANDE PERSONALIDADE DESCE A SEPULTURA!



MAIS UMA GRANDE PERSONALIDADE, ADMIRADA BRASILEIRA, DESCE A SEPULTURA! SÃO REAIS AS PALAVRAS DE ISAÍAS EM ISAÍAS 40:7-8:
".SECA-SE A ERVA, E CAI A FLOR,
SOPRANDO NELA O ESPÍRITO DO SENHOR. NA VERDADE O POVO É ERVA.
SECA-SE A ERVA, E CAI A FLOR, PORÉM A PALAVRA DE
NOSSO DEUS SUBSISTE ETERNAMENTE. "

É A PURA VERDADE, QUE NINGUÉM PODE ESCAPAR: A FAMA É UM VAPOR,
A POPULARIDADE É UM ACIDENTE,
O DINHEIRO TEM ASAS E VOA,E
NO FINAL, APÓS A MORTE,  SÓ O QUE RESTA, É A PERSONALIDADE E O CARACTER DE CADA UM DIANTE DE DEUS! REFLITAMOS E RESERVEMOS TEMPO DE NOSSAS VIDAS PARA SERVIR A DEUS  E FAZER A SUA VONTADE POIS CHEGARÁ O DIA EM QUE TODOS NÓS PRESTAREMOS CONTA DE TUDO AQUILO QUE PLANTAMOS! DEIXO UMA INDAGAÇÃO: O
QUE NÓS ESTAMOS PLANTANDO?

sábado, 29 de setembro de 2012

HISTORIA DA RELIGIÃO PARTE II



PARTE II
RELIGIÃO NO MESOLÍTICO:
 - NÃO HÁ RELATOS -
C- NEOLÍTICO ( ou  “idade da pedra nova”ou “pedra polida” )

Na pré-história européia, portanto, não se aplicando à pré-história americana (incluindo o Brasil), 
é o nome do período que vai de aproximadamente do décimo milênio a.C., (com o surgimento da agricultura), até o terceiro milênio a.C., (dando lugar a Idade dos Metais.)
Nota: foi nesta época que surgiram também o comércio, o dinheiro, que facilitou a troca de materiais, e que era, na época, representado por sementes. 
Estas sementes, diferenciadas umas das outras, representam cada tipo, cada valor. Uma aldeia, ao produzir mais do que o necessário e, para não perder grande parte da produção que não iria ser utilizada, troca o excesso por peças de artesanato, roupas e outras utensílios com outras aldeias.
Neste momento deixam de usar peles de animais como vestimenta, que dificultam a caça e muitas outras atividades pelo seu peso, e passam a usar roupas de tecido de lã, linho e algodão, mais confortáveis e leves.

RELIGIÃO NO NEOLÍTICO:
Também não há fontes textuais existentes a partir do período Neolítico.

C- IDADE DO BRONZE ( ou  “idade dos metais”)
A Idade do Bronze é um período da civilização no qual ocorreu o desenvolvimento desta liga metálica, resultante da mistura de cobre com estanho.
Iniciou-se no Oriente Médio em torno de 3300 a.C. substituindo o Calcolítico, embora noutras regiões esta última idade seja desconhecida e a do bronze tenha substituído diretamente o período neolítico (popularmente conhecida como Idade da Pedra).
A Idade do Bronze no antigo Oriente Próximo começou com a ascensão da Suméria no quarto milênio a.C. O Antigo Oriente Próximo é considerado por alguns como o berço da civilização e praticavam a agricultura intensiva durante todo o ano,
desenvolveram um sistema de escrita, inventaram a roda do oleiro, criou um governo centralizado, códigos de leis e impérios, e introduziram a estratificação social, a escravidão e a guerra organizada. Sociedades na região estabeleceram as bases para a astronomia e matemática.

RELIGIÃO NA IDADE DO BRONZE:

as fontes disponíveis datam da Idade do Bronze e, portanto, todas as declarações sobre qualquer sistema de crenças das sociedades neolíticas pode ter possuído são vislumbradas a partir da arqueologia.
Diversos autores apresentam uma pré-história "centrada na figura feminina" e na adoração à Deusa mãe ao longo de toda a pré-história. Os achados arqueológicos das estatutetas de Vênus e de arte rupestre são provas dessa religiosidade.
Ela descreve uma "Velha Europa" matriarcal com um conjunto de sociedades dominadas pela adoração à uma deusa, em especial, postulando uma deusa de aves e uma deusa urso.
ESTATUETAS DE VÊNUS

As estatuetas de Vênus são uma série de estatuetas pré-históricas de mulheres, que compartilham certas características
(muitas delas são de mulheres obesas ou grávidas ou extremamente esbeltas com silhueta afinada).
Essas estatuetas já foram encontradas da Europa Oriental até a Sibéria e
foram feitas em pedras moles, como:
-   calcita ou calcário,
-  ossos ou marfim, ou ainda
- criadas em argila e depois aquecidas.
- Algumas delas são os objetos de cerâmica mais antigos de que se tem conhecimento.

ARTE RUPESTRE
Arte rupestre, pintura rupestre ou ainda gravura rupestre, são termos dados às mais antigas representações artísticas conhecidas, as mais antigas datadas do período Paleolítico Superior (40.000 a.C.) gravadas em abrigos ou cavernas, em suas paredes e tetos rochosos, ou também em superfícies rochosas ao ar livre, mas em lugares protegidos, normalmente datando de épocas pré-históricas.
Bem é isso que temos de registro acerca da religião na pré-história!
CIVILIZAÇÃO ASTECA
Vamos agora As religiões das civilizações astecas,

também uma das mais antigas
Eram politeístas (acreditavam em vários deuses) e acreditavam que se o sangue humano não fosse oferecido ao Sol, a engrenagem do mundo deixaria de funcionar.
Os sacrifícios eram dedicados a:
§  Huitzilopochtli ou Tezcatlipoca: o sacrificado era colocado em uma pedra por quatro sacerdotes, e um quinto sacerdote extraía, com uma faca, ocoração do guerreiro vivo para alimentar seu Deus;

§  Tlaloc: anualmente eram sacrificadas crianças no cume da montanha. Acreditava-se que quanto mais as crianças chorassem, mais chuva o Deus proveria.
No seu panteão havia centenas de deuses. Os principais eram vinculados ao ciclo solar e à atividade agrícola. Observações astronômicas e estudo doscalendários faziam parte do conhecimento dos sacerdotes.
Sacrifício humano na cultura asteca
Sacrificar seres humanos aos deuses, era para os Astecas uma missão, enquanto povo escolhido pelo seu deus Huizilopchtli. Os sacerdotes ficavam com os vencidos para os sacrifícios , o deus era apaziguado. Era tal a obsessão de sacrifício, que para eles as frequentes campanhas bélicas acabaram por não se dirigir à conquista de territórios, mas tornaram-se uma forma de encontro ritualizado, de conflitos cerimoniais, a que se deu o nome de "Guerra Florida", com a qual era possível obter sempre novas vítimas para os sacrifícios aos deuses. O seu destino final, como acontecia com os prisioneiros mortos no templo, era a glória de acompanhar o Sol no seu caminho celestial. Esta "Guerra Florida" foi instituída no reinado de Moctezuma I, por Tlacaelel, uma espécie de grão-vizir. Com este fim, Tenochtitlan selou uma aliança tripla com o estado Acolhua de Texcoco (do outro lado do lago) e com o pequeno estado de Tlacopán, numa luta permanente contra os estados de língua Nahualt de Tlaxcala e Huexotzingo. A finalidade de ambos os lados era simplesmente ganhar cativos para serem sacrificados.
A morte em combate ou na pedra sacrificial era o destino mais elevado do guerreiro, e conduzia-o para o mais alto céu. A base do pensamento religioso e da actividade ritual provinha da ideia de que era necessário manter uma relação constante de intercâmbio com o sobrenatural. Oferecendo aos deuses a energia vital necessária para manter a actividade, poder-se-ia continuar a receber dele os dons que permitiam a existência humana, como a luz, o calor, a água, a caça, os produtos da terra, etc. No inicio pouco numerosos, durante a época da conquista, não se passava um dia sem que se fizesse pelo menos um sacrifício. Quanto mais alta fosse a categoria da vítima mais valiosa era para o fim em vista.
O sacrifício tradicional mais dramático dava-se uma vez por ano, no 5º dia do mês toxcatl, em honra a Tezcatlipoca. Um ano antes, os sacerdotes designavam um jovem prisioneiro para representar o deus. Durante esse ano seguinte a precedia à cerimónia ensinavam-lhe as artes nobres, como por exemplo, tocar a flauta de argila. Vestido com trajes sumptuosos, todos o reverenciavam como a imagem viva do deus. No começo do mês Toxcatl, casavam-no com quatro virgens (que usavam o nome de Xochiquetzal, Xilonen, Atlatonan e Uixtociatl). Quanto mais se aproximava a data fatídica, mais as festas organizadas em sua honra eram faustosas. No dia do sacrifício, ele embarcava com as suas mulheres num barco que os conduzia a uma pequena ilha onde ficava o templo. Então as mulheres deixavam-no e ele dirigia-se sozinho para a pirâmide ou "Teocalli". Subia a escadaria, quebrando sucessivamente sobre os degraus todas as flautas de argila que tinha usado durante esse ano. Assim que chegava à plataforma do templo, quatro sacerdotes estendiam-no sobre a pedra sacrificial segurando-lhe os braços e as pernas; o quinto homem abria-lhe o peito com uma faca de sílex e metendo a mão dentro do peito, arrancava-lhe o coração que, logo de seguida, erguia ao céu em oferenda á divindade. A famosa "pedra do sacrifício", que data do reino de Tizoc, é um vaso enorme onde se queimava o coração das vítimas. Outro tipo de sacrifício: a vítima combatia sucessivamente com armas fictícias contra guerreiros bem armados; se conseguisse defender-se contra o primeiro, morria inevitavelmente aos golpes dos seguintes.
Ao deus Xipe Totec: depois do coração arrancado, este era depositado no cuauxicalli ou "vaso de água", para ser queimado e servir de alimento aos deuses. A cabeça era separada do corpo, e este esfolado. Os sacerdotes e aqueles que faziam penitência (para homenagear os deuses), vestiam-se com a pele da vitima, que usavam durante 20 dias, ao fim dos quais o que personificava o deus Xipe Totec, o "nosso senhor esfolado", "deitava um cheiro repulsivo como se fosse um cão morto". Ao deus Tlaloc: sacrificavam-se crianças no alto das montanhas para trazer chuva no fim da estação seca, para apaziguar o deus; quanto mais elas choravam, mais satisfeito o deus ficava.
20 000 homens eram imolados em cada ano. O templo de Huitzilopochtli é disso testemunham. Hernan Cortez e os seus homens, contaram cerca de 140 000 crânios.
Todas estas cerimónias eram reguladas por um calendário litúrgico chamado "Tonalpohualli", a par com o calendário solar relacionado com a vida rural.
O Deus mais venerado era Quetzalcóatl, a serpente emplumada. Os sacerdotes formavam um poderoso grupo social, encarregado de orientar aeducação dos nobres, fazer previsões e dirigir as cerimônias rituais. A religiosidade asteca incluía a prática de sacrifícios. Segundo o divulgado pelos conquistadores o derramamento de sangue e a oferenda do coração de animais e de seres humanos eram ritos imprescindíveis para satisfazer os deuses, contudo se considerarmos a relação da religião com a medicina encontraremos um sem número de ritos.
Há referências a um Deus sem face, invisível e impalpável, desprovido de história mítica para quem o rei de Texoco, Nezaucoyoatl, mandou fazer um templo sem ídolos, apenas uma torre. Esse rei o definia como "aquele, graças a quem nós vivemos".

HISTÓRIA DA RELIGIÃO - PARTE I



PARTE I
As religiões na pré-história, nas sociedades tribais e sem escrita;
as religiões das civilizações astecas, maias, incas pré-colombianas e
demais sociedades indígenas americanas.
 A RELIGIÃO NA PRÉ-HISTÓRIA (nas sociedades tribais e sem escrita;)
Apesar de que para muitos historiadores o termo "pré-história" é errôneo, pois segundo eles, não existe uma anterioridade à história mas sim à escrita.
Quando falamos em pré-história, estamos na realidade tratando do período histórico que antecede a invenção da escrita, evento que marca o começo dos tempos históricos registrados, e que ocorreu aproximadamente em 4.000 a.C..
Também pode ser contextualizada para um determinado povo ou nação como o período da história desse povo ou nação sobre o qual não haja documentos escritos.

Quando falamos em  religião pré-histórica,  estamos em essência falando sobre todas as crenças e práticas religiosas da pré-história.
Mais especificamente, as práticas religiosas presentes no período PMNI
P - Paleolítico
M - Mesolítico
N - Neolítico
I -  Idade do Bronze.
A - PALEOLÍTICO ( ou  “idade da pedra lascada” )
O termo Paleolítico foi empregado pela primeira vez pelo historiador John Lubbock.

Refere-se ao período da pré-história que vai de cerca de 2,5 milhões a.C., quando os antepassados do homem começaram a produzir os primeiros artefatos em pedra lascada, até cerca de 10.000 a.C.
Neste período os homens eram essencialmente:
a) nômades
b) caçadores-coletores,
c) tinham que se deslocar constantemente em busca de alimentos.
d) Desenvolveram os primeiros instrumentos de caça feitos em madeira, osso ou pedra lascada, e

e) dominaram o uso do fogo.


DIVISÃO DO PERÍODO PALEOLÍTICO
Este longo período histórico subdivide-se em 03 PARTES:

a) Paleolítico Inferior (até há aproximadamente 300 mil anos)

O Paleolítico Inferior é a mais antiga subdivisão do Paleolítico, período mais antigo da Pré-História do homem. Teve início por volta de 3 milhões anos atrás, e foi até por volta de 250 mil anos atrás, quando mudanças evolucionárias e tecnológicas importantes levaram os historiadores e arqueólogos a uma nova divisão, o Paleolítico Médio.
Os mais antigos hominídeos, os australoptecínios, personificados por Lucy, não eram utilizadores avançados de ferramentas de pedra e é provável que fossem presa de animais maiores[carece de fontes]. Utilizavam machado de mão e viviam a céu aberto, próximo ao vale dos rios.
Os primeiros fósseis do género Homo surgem a menos de três milhões de anos. Eles podem ter se originado dos australoptecíneos ou de um braço filogenético diferente de primatas. É nesse período que o homem passa a andar em duas pernas[carece de fontes].
O Homo habilis, como os da Garganta de Olduvai é muito mais semelhante aos humanos modernos. O uso de ferramentas de pedra foi desenvolvido por esta espécie por volta de 2,5 milhões de anos atrás, antes de serem substituídos pelo Homo erectus, por volta de 1,5 milhão de anos atrás. OHomo habilis aprendeu a usar o fogo como método de apoio na caça.


b) Paleolítico Médio

O paleolítico médio é um conceito que compreende um espaço temporal, cultural e geográfico mais restrito do que os períodos do Paleolítico que o antecedem e precedem.
O homem de neandertal, a sua distribuição geográfica (Europa), as técnicas de talhe (indústrias mustierenses) e a sua cronologia (200.000 a 30.000 anos b.p.) são características que definem este período da pré-história antiga.
O homem-de-neandertal (Homo neanderthalensis) é uma espécie extinta, fóssil, do gênero Homo que habitou a Europa e partes do oeste da Ásia, de cerca de 300 000 anos atrás[1] até aproximadamente 29 000 anos atrás (Paleolítico Médio e Paleolítico Inferior, no Pleistoceno), tendo coexistido com os Homo sapiens
Neste período, O homem abandonou o uso dos machados de mão e passou a utilizar as lascas de pedras em outras armas, como exemplo, as flechas.


c)  Paleolítico Superior (até 10 mil a.C.).
O Paleolítico Superior é um conceito que abrange o fim do Paleolítico Médio e início do Mesolítico.
Nele foram encontrados:
- anzóis primitivos,
- bifaces,
- machados de mão,
- agulha de osso, entre outros.
- É também caracterizado pela arte rupestre.
Outros dois grandes avanços foram o desenvolvimento da agricultura e a domesticação dos animais. Cultivando a terra e criando animais, o homem conseguiu diminuir sua dependência com relação à natureza. Com esses avanços, foi possível a sedentarização, pois a habitação fixa tornou-se uma necessidade. Neste período ocorreu também a divisão do trabalho por sexo dentro das comunidades. Enquanto o homem ficou responsável pela proteção e sustento das famílias, a mulher ficou encarregada de criar os filhos e cuidar da habitação.

RELIGIÃO NO PALEOLÍTICO:

Enterro
O enterro dos mortos, particularmente com espólio pode ser uma das primeiras formas detectáveis de prática religiosa, pois, como Philip Lieberman sugere, ele pode significar uma "preocupação com os mortos, que transcende a vida diária."
Os primeiros indiscutível Homo sapiens enterrados remontam cerca de 60.000 anos atrás.

Adoração animal
Um número de arqueólogos propoem que as sociedades do Paleolítico Médio, tais como sociedades neandertais pode ter praticado a mais antiga forma de totemismo ou a adoração de animais.

B - MESOLÍTICO ( ou  “idade média da pedra” )
É o termo empregado para denominar o período da pré-história que serve de transição entre o Paleolítico e o Neolítico, e presente (ou pelo menos, com duração razoável) apenas em algumas regiões do mundo onde não houve transição direta entre esses dois períodos.
É o período identificando como aquele em que existiram as últimas sociedades de caçadores-coletores
nota: a caça e a coleta foram os primeiros modos de subsistência do Homo sapiens. Estas actividades foram herdadas directamente do mundo animal, particularmente dos primatas.
Caçadores-recolectores de caça obtêm mais na recolha que na caça; até 80% da comida era obtida dessa forma
Vale ressaltar que este período mesolítico só existiu em algumas regiões do mundo (onde não houve transição direta entre os períodos Paleolítico e Neolítico, pois, a evolução histórica se deu diferente em determinadas regiões).
Os hábitos das culturas do Mesolítico eram basicamente nômades, com assentamentos estacionais de Inverno e acampamentos de verão, embora em algumas regiões costeiras europeias e no Próximo Oriente (ali onde encontraram recursos suficientes e regulares) começassem a viver de um modo mais sedentário.

sexta-feira, 28 de setembro de 2012

CANTA ALAGOAS 11 DE OUTUBRO NO SESI




Prepare-se pois no dia 11 de Outubro a partir das 19hs, o ginásio do SESI vai mais uma vez estremecer com o poder da adoração. 

A Wes Entretenimentos trás para Maceió, mais um grande evento de impacto espiritual. Uma grande noite de louvor com uma mega estrutura em palco, iluminação e som. Será certamente um dia inesquecível e estarão reunidos mais de três mil pessoas e  três dos grandes nomes da música sacra nacional: 
- Pregador Luo, Luciano dos Santos Souza, conhecido como Pregador Luo, é um rapper gospel brasileiro, líder do grupo de rap gospel "Apocalipse 16" e proprietário do selo independente 7 Taças. Em 2011, foi indicado ao Troféu Promessas.


- Mariana Valadão, cantora que tem se destacado ultimamente de forma brilhante. Gravou três álbuns em sua carreira e foi premiada no Troféu Talento de 2009 na categoria Revelação. A cantora também já foi integrante do grupo Diante do Trono, liderado por Ana Paula Valadão, sua irmã.



- Fernanda Brum,,  compositora brasileira, ex-integrante do Grupo Voices. A cantora também participou do Festival Promessas, evento que pretendia reunir mais de 200 mil pessoas no Aterro do Flamengo e foi exibido na Rede Globo. É atualmente um dos maiores nomes da música gospel brasileira 



Além dessas atrações, o evento também terá a participação da Banda gospel alagoana Chance II e o do pregador oficial escolhido para ministrar a poderosa palavra do Senhor , o Evangelista Adriano Oliveira ( Farol), um dos instrumentos de Deus usado poderosamente no ministério da Palavra, sempre convidado para eventos desse porte.


Será uma noite inesquecível com muita adoração, clamor, alegria e ministração da palavra de Deus. Você não pode perder! Garanta já sua vaga pois as vagas são limitadas e os ingressos já estão em seu segundo lote.

quinta-feira, 27 de setembro de 2012

BRASIL NOVO É IMPACTADO E 33 VIDAS ACEITAM A JESUS


A Assembléia de Deus localizada em Brasil novo, no município de Rio Largo, dirigida pelo nobre pastor Pedro Josué, realizou no dia 24 de Setembro, as 19hs, em plena Segunda Feira, mais uma grande Cruzada Evangelística no campo ao lado da igreja sede da região.


Mesmo sendo começo de semana, uma grande multidão de adoradores se aglomeraram no local. O Evangelista Meira (co-pastor do campo ) contabilizou, baseado nas cadeiras que foram todas ocupadas, uma média de no mínimo 400 pessoas sentadas fora uma grande quantidade de pessoas que ficaram em pé para prestigiar e participar do evento.

Uma mega estrutura, entre palco e som, foi montada para a realização deste trabalho que não tinha outro foco a não ser a Salvação e libertação de almas. Por isso, toda a igreja juntamente com seus respectivos dirigentes passaram dias e dias em oração, Jejum e consagração para que Deus fizesse maravilhas no dia do evento.
Estiveram presentes várias autoridades e dirigentes de congregações, entre eles: Pr. José Luiz ( Tabuleiro do Martins), Pr. Paulo César Sales de Santana ( Coronel Paranhos), Ev. Adriano Oliveira ( Séde), Pb. Genilson Silva ( Acauã), Pbs. Ozéias e Marcos ( locais), capitão Eduardo Mendonça ( Soldados de Cristo), Dep. Jota Cavalcante e toda sua equipe que cooperaram na realização do evento.



Deus honrou de forma miraculosa o trabalho evangelístico e desde o começo já se sentia a presença do Espírito Santo nas vidas dos presentes. A cruzada foi moderada pelo Evangelista Meira. O louvor ficou a par dos cantores Valdério Nascimento e Ednaldo Santos e Banda que com muita unção adoraram ao Rei dos reis e Senhor dos Senhores.

A leitura oficial foi feita pelo Pr. Pedro Josué ( Dirigente local). Foram dadas saudações ao público pelo Pr. José Luiz e pelo ilustre deputado Jota Cavalcante que externou sua alegria e satisfação em ver tantas pessoas reunidas em um dia de semana, enfrentando o frio e a chuva para fazer a obra do mestre, e logo em seguida louvou ao Senhor com o hino que envolveu toda a igreja “mais grato a ti”.


 


Logo em seguida a palavra foi oportunizada ao Ev. Adriano Oliveira ( Farol), convidado para ser o ministrante oficial da noite. O mesmo leu em Mt 16.13-19 e baseado no tema “ Quem é Jesus” levou os ouvintes a uma reflexão sobre o perfil de Pedro, a forma como Deus nos escolhe para sermos integrantes do seu exército, quem era Jesus para Pedro e para cada um dos presentes, concluindo com o seu testemunho de conversão e chamamento ao honrado ministério da Pregação.











  Deus literalmente se apoderou do ambiente e uma nuvem de glória invadiu o local que foi tomado pelo poder de Deus. Muitos irmãos foram renovados, curados e outros batizados com o Espírito Santo, inclusive alguns no momento que aceitavam a Jesus em lágrimas. E o melhor, 33 almas largaram o mundo e vieram para os pés de Cristo.  Nem a chuva que caiu no final do trabalho impediu a unção de Deus de se manifestar e as vidas de se renderem a Jesus.


















A glória de Deus tomou os obreiros no púlpito, e entre a multidão houve uma junção de chuva da terra com chuva da glória de Deus. E mesmo terminado o trabalho, muitos ainda permaneceram no local abraçados, chorando e falando nas línguas celestiais.

Ao término da Cruzada, a alegria estava estampada no coração dos presentes. Que deram seus depoimentos:
Depoimentos de alguns presentes no evento:

Dep. Jota Cavalcante:  “ Eu vi Deus estremecer este lugar, se manifestando poderosamente. E acredito que a melhor satisfação que temos é contemplar vidas se prostrando aos pés do nosso Senhor. Esta é sem sombras de dúvidas nossa missão. Cumprir a cada dia o ‘ ide’ imperativo do nosso bom mestre. Algo que me marcou neste trabalho foi quando vi pessoas aceitando a Jesus e sendo imediatamente batizadas com o Espírito Santo. Em um trabalho como esse, 33 almas se rendem a Jesus Cristo. É por isso que não tenho me cansado juntamente com toda nossa equipe de evangelizar este Estado. Temos muito trabalho ainda pela frente mas desde já conto com a oração e a presença de todos nesta grande tarefa que é a evangelização” 

Ev. Adriano Oliveira: “O que vimos aqui hoje foi literalmente a manifestação da presença de Deus. Vi muitas vidas sendo tocadas pela palavra de Deus e com grande choro de arrependimento, aceitando a Jesus Cristo como Senhor e o mais importante, como Salvador de suas vidas! Sou amante e admirador das Cruzadas Evangelísticas e estou feliz em fazer parte desta geração de pregadores da última hora e porque não dizer desta grande colheita que antecede o arrebatamento da igreja. Parabéns ao Pr. Pedro Josué, toda sua equipe de obreiros e ao nosso Deputado Jota Cavalcante que não tem medido esforços para  fazer a obra de Deus.”

Pr. Pedro Josué
(Dirigente da Congregação): “Quero agradecer primeiramente a Deus e em segundo lugar ao nosso pastor presidente José Antônio dos Santos pela confiança que em todos estes anos nos tem dado. Para mim é um motivo de satisfação participar de trabalhos como este. Estou muito feliz e satisfeito. Agradeço a todos os nossos irmãos que atenderam a convocação para fazermos este trabalho abençoado, louvo a Deus pela vida do irmão Jota Cavalcante que gentilmente veio com toda a equipe da Cruzada para abençoar nossas vidas e agradeço ao preletor da noite que com muita unção ministrou a mensagem de Deus”

terça-feira, 11 de setembro de 2012

CONGRESSO DE JOVENS EM SÃO BRÁS IMPACTADO PELO PODER DE DEUS



Congresso de Jovens em São Brás impactado pelo poder de Deus
                                                                                    Correspondente: Pb. Rafael Fernandes
A Assembléia de Deus em São Brás, localizada as margens do Rio São Francisco, dirigida pelo pastor Marevaldo Fernandes dos Santos, realizou nos dias 08 e 09 de Setembro, o XIV Congresso de Jovens do município, baseado em 1 Rs 18.30 sob o lema: “Então, Elias disse a todo o povo: Chegai-vos a mim. E todo o povo se chegou a ele; e reparou o altar do Senhor, que estava quebrado.”




Estiveram cooperando neste abençoado evento os departamentos de jovens vindos da cidade de  Taquarana e do povoado de Mombaça juntamente com o seu dirigente Pr. Edivaldo, e os cantores Pb. Rafael Fernandes, Rebeca Fernandes e a banda Chama Viva. Bem como os irmãos Marcos Pereira e Lila Oliveira, vindos de Maceió. Também esteve presente o Pr. Zaqueu ( Olho d´água Grande) que cooperou ministrando um abençoado estudo bíblico no período da Escola Dominical.

A ministração da palavra as duas noites ficou a par do pregador oficial da festa Evangelista Adriano Oliveira ( Séde - Maceió) que de forma impactante pregou a abençoada Mensagem dos céus. A glória de Deus invadiu o ambiente. Houve batismos com o Espírito Santo, salvações de almas e um grande avivamento.

Há 06 anos e 06 meses que o pastor Marevaldo Fernandes dos Santos e sua família estão cuidando do rebanho do Senhor na cidade, contando hoje com aproximadamente 80 jovens que  integram a Mocidade do campo. Desde que o célebre obreiro assumiu o campo que o Senhor tem o abençoado.

A igreja conta com 05 subcongregações construídas ( povoado Tibiri, Lagoa comprida, Mão de Engenho, Massarambuba, Sampaio), 05 Presbíteros, 04 diáconos, 15 auxiliares fora uma linda casa pastoral ( construída na sua gestão) e uma média de 350 crentes assíduos nos cultos e incendiados com a chama do evangelho. O Senhor a cada dia tem abençoado o trabalho e salvando vidas para o Reino de Deus.

“ Achei que este foi um dos maiores e melhores Congressos que já tivemos por aqui. Inclusive uma das coisas que me chamou a atenção foi a aceitação de alma. A mulher veio chorando sem que fosse feito o convite. A glória de Deus verdadeiramente invadiu a casa. Deus usou poderosa e maravilhosamente o pregador tanto no Sábado como no Domingo abordando uma mensagem do céu que o povo realmente estava precisando ouvir. Tocou em nosso coração e houve uma cachoeira de poder. Desde já agradeço primeiramente ao Senhor nosso Deus, ao meu pastor presidente José Antônio dos Santos pela confiabilidade do trabalho e ao nosso querido amigo e deputado Jota Cavalcante por ter cedido o pregador para cooperar conosco nestes dias e também ao pastor Adriano Oliveira por ter atendido ao nosso convite. Podemos dizer com convicção que ´grandes coisas fez o Senhor por nós  por isso estamos alegres’” ( Pr. Marevaldo Fernandes dos Santos )

DIA DO EVANGÉLICO EM PIAÇABUÇÚ. CONFIRMADAS AS PRESENÇAS DO PR. ADRIANO OLIVEIRA E DO CANTOR ALEX GONZAGA


Todos sabem que Piaçabuçú é uma cidade linda e litorânea e tem uma facilidade gigantesca de atrair turistas de todos os lugares. Paisagens pitorescas e um povo maravilhoso. Quem procura descanso e belos pontos sabe que lá é um lugar certo. O que a maioria não sabe é que todos os anos, isto já vai na quarta edição, a prefeitura criou " O dia do Evangélico".

É um reconhecimento da importância que o povo evangélico representa na sociedade e sua contribuição para combater a violência e indiferenças junto a aplicação teórica e prática da Palavra de Deus.

Agora, no próximo dia 15 de Setembro toda a cidade estará reunida em uma das praças principais da cidade para comemorar esta data tão importante. Assim como todos os anos, são convidados assumidades destacáveis tanto na música gospel como no ministério da pregação.

 Nesta feita foram convidados para ministrar a palavra de Deus um dos evangelistas mais solicitados no Estado alagoano e no Nordeste, Pr. Adriano Oliveira, da Assembléia de Deus central de Maceió, geralmente presente nos grandes eventos de adoração do Estado.

E a ministração de louvor este ano ficou a par de Alex Gonzaga, cantor e compositor gospel, vocalista da banda Novo Som.  Considerado um dos intérpretes mais prestigiados da música gospel, afinal, ele foi agraciado com uma voz privilegiada.

 Há duas décadas como lead vocal da banda pop Novo Som, da qual é fundador,  Alex ganhou respeito e maturidade. E começou acalantar alguns projetos também. Um deles, já deixou de ser projeto para se consolidar, a carreira solo. Tudo começou no ano de 2001, com o lançamento do CD "Canções, Eternas Canções".
Em 2003, Alex lançou o seu segundo CD pela MK Publicitá, VOU CONTINUAR, que veio recheado de músicas inéditas. A vivência deste ministério solo não têm impedido ou atrapalhado a dedicação ao Novo Som. Alex não saiu da banda e nem pretende fazê-lo, tão pouco teve conflito em conciliar as agendas de cantor solo e vocalista. O CD solo tem uma proposta totalmente diferente do trabalho do grupo - bem mais próxima ao louvor, a adoração e ao romantismo pop. Tanto que o cantor lançou em 2006 o terceiro CD solo, que é uma continuidade do projeto de regravações: Canções, Eternas Canções 2.
No repertório estão músicas consagradas como 'Renova-me' (de Denise Cerqueira), 'Pão da Vida' (de Cláudio Claro), 'Descerá Sobre Ti' (do pastor Marcos Vinícius), 'Oração da Noite' (domínio público), 'Jesus I Love You' (de Ivanilson), 'Em Nome de Jesus de Nazaré' (de Paulo César Brito), 'Baião' (gravada pelo Rebanhão) e a primeira música de trabalho 'Ele é Jesus' (de Moisés França). Para Alex não foi fácil escolher essas músicas. Para decidir, ele contou com a ajuda do Mito, e também ouviu opiniões de nomes como Eyshila - que sugeriu a música 'Ele é Jesus', ao encontrar com o cantor durante uma programação. Esta foi escolhida, inclusive, como a música de trabalho.
Na época, Alex declarou-se empolgado com o CD, e não tinha dúvidas de que mais um trabalho abençoado acabava de chegar: "que Deus ratifique no coração das pessoas a nossa proposta, que é uma música de qualidade, que fale diretamente de Deus. Que Ele possa estar tocando as pessoas com seu Espírito Santo através dessas músicas, e que muitas vidas sejam abençoadas", desejou Alex. ( Com informações Wilkipédia)

VOCÊ NÃO PODE PERDER!!!!

quarta-feira, 5 de setembro de 2012

JOVENS DE CHÃ PRETA EM CHAMAS

Da Redação/AD Alagoas
novasdeesperanca@gmail.com
http://www.adalagoas.com.br/noticias/?idioma=pt&vArea=&vCod=8283)

A Assembleia de Deus em Chã Preta, na pessoa do seu pastor Oliveira, realizou nos dias 18 e 19 de agosto o 21º aniversário do departamento de jovens Novo Alvorecer. O evento ficou marcado pela real presença do Senhor.





Já na abertura, com a pregação do pastor Josivaldo Gomes, de Cajueiro, muitas bênçãos foram contabilizadas. Deus operou grandemente, salvando, curando e batizado com Espírito Santo.

No domingo, no encerramento, esteve presente o deputado estadual Jota Cavalcante, acompanhado por alguns irmãos, entre eles o preletor da noite, o evangelista Adriano Oliveira. No culto, Deus falou profundamente com o seu povo e a Igreja estremeceu.


















A coordenadora geral do grupo aniversariante, irmã Gedalva, está muito agradecida ao Senhor pelas conquistas no último ano.

Seguidores